Laboratório dos Sonhos e o Movimento em Prol da Inquietude

Naiara - InquietosOlá, pessoal. Eu quero compartilhar com vocês um sentimento, uma novidade e um pedido.

O sentimento é de PERTENCIMENTO. Ontem eu acordei com um frio na barriga congelante. Era o dia da formatura e apresentação final do Laboratório dos Sonhos, um curso diferente e inspirador idealizado pela FazInova, da Bel Pesce. A ideia do curso é incentivar o planejamento e a realização de sonhos. Ontem, 96 sonhadores passaram três minutos cada sob os holofotes no Centro de Convenções Rebouças . É a primeira formatura de turmas presenciais do Lab e eu tenho orgulho de dizer que sou uma delas. Confesso que pensei em não apresentar várias vezes – ainda tenho muiiiiito o que aprender sobre falar em público. O que me motivou a subir naquele palco e enfrentar meu medo foi o entusiasmo dos outros sonhadores. Não só porque eu ouvi inúmeras vezes a palavra Inquietude, mas, principalmente, porque eu senti a energia que emanava das Inquietudes de todos. Continuar lendo “Laboratório dos Sonhos e o Movimento em Prol da Inquietude”

[Perfil-Inquieto] Tati Bueno

Tati BuenoO ano de 2015 começou, para mim, com buscas. Queria fazer algo que me desafiasse pessoalmente, não profissionalmente. Queria algo que me fizesse refletir e entender o que eu quero da vida. Foi aí que eu caí no Laboratório dos Sonhos, um curso inovador da FazINOVA, empresa que a Bel Pesce fundou. Eu me matriculei sem nem saber direito como seria, mas o nome e a mini-proposta que eu vi me pareceram perfeitos para o que eu buscava. Quando me chamaram para fazer a entrevista prévia eu gelei. Pensar em sonhos nunca foi meu forte, juro. Sempre fui uma pessoa a la Zeca Pagodinho (Deixa a vida me levar…). Eu sabia que ia ter de enfrentar a pergunta mais difícil da  minha vida: “O que você quer estar fazendo daqui a cinco anos?”. Acho a pergunta bem válida, não tenho nada contra. Mas, para mim, ela é muito estressante. A resposta direta é: “Não sei”.

Ao entrar na FazINova naquele dia da entrevista eu já estava uma pilha de nervos porque sabia que precisaria, na próxima uma hora, olhar para dentro de mim profundamente e ser sincera não apenas com a moça simpática que havia respondido meus e-mails, mas também comigo mesma. E lá eu cheguei no prédio, entrei na FazInova e fui recepcionada com muitos “Boas tardes” e sorrisos sinceros da equipe. Me senti bem, mas não confortável o suficiente com o que me esperava. Foi quando a Tati (Para os não íntimos é Tatiana Bueno) apareceu e me levou para a salinha. Ela foi tão simpática e estava tão entusiasmada com o curso que me contagiou. Fiquei nervosa, demorei para responder muitas perguntas, não sabia a resposta de outras tantas, mas a sensação-fim foi de alívio: uma batalha foi vencida. Agora faltam outras 18 (número de encontros do curso). Falar de mim naquele momento me fez muito bem, ainda mais porque me identifiquei com a Tati logo de cara: ela veio do interior do Rio de Janeiro, eu do interior de São Paulo; ela veio em busca de um sonho, eu também; ela achava a cidade de certa forma hostil, eu lhe contei minha péssima experiência dos primeiros anos em São Paulo; ela mostrou muita força de vontade, e eu também sempre achei que tenho de sobra. 
Continuar lendo “[Perfil-Inquieto] Tati Bueno”

[Nai’ndica] A busca por propósitos

No parking
Não estacione suas Inquietudes nunca. Esteja sempre com propósitos na sua vida.

Todos temos teorias. Eu tenho muitas, mas uma em especial me ocorreu neste ano: ninguém é ruim em nada, apenas não foi motivado o suficiente. Até tem gente que consegue se automotivar constantemente – as próprias inquietudes são automotivadores -, mas, se o ambiente não ajuda, não estimula, é muito difícil manter essa automotivação. Especialmente para as gerações mais novas, como a minha, é muito difícil trabalhar sem propósitos. As causas são a fontes de motivação poderosas. Continuar lendo “[Nai’ndica] A busca por propósitos”